E-Books: música abriu precedente perigoso
Fonte: Valor Econômico   
Ter, 02 de Março de 2010 / 15:35

As editoras de livros enfrentam um precedente preocupante à medida que iniciam a marcha rumo à digitalização.

Dez anos atrás, o negócio da música ainda dependia muito das vendas de CDs em lojas.

Mas o que começou como um filete de músicas pirateadas na internet transformou-se em uma torrente, depois que os consumidores descobriram maneiras fáceis de obter música gratuitamente. Em meio a essa anarquia, a Apple entrou em cena.

Com o iPod e a loja virtual iTunes, o grupo de tecnologia ofereceu às gravadoras um meio fácil de vender música pela internet, e, aos consumidores, uma maneira fácil de comprá-la.

Mas ao encorajar as vendas de músicas individuais e estabelecer o preço de todas as faixas em US$ 0,99, a Apple também minou o modelo histórico da indústria do disco - o das vendas de álbuns. As gravadoras nunca se recuperaram disso.

A indústria da música descobriu que transferir o controle dos preços para uma companhia de tecnologia é uma coisa muito perigosa. As editoras estão cientes de que não podem conspirar para fixar os preços dos e-books, mas precisam negociar individualmente com as gigantes de equipamentos e de comércio eletrônico.

Fonte: Valor Econômico
 
           

Assine nossa newsletter e receba notícias da área gráfica, além de informações sobre cursos e eventos do segmento

Assinar

Calendários de Eventos

Siga-nos no twitter

 André Borges Lopes
 Ricardo Minoru Horie
 Alexandre Keese
 Ana Cristina P. Oliveira
 Vitor Vicentini